Projeto de reativação da ferrovia entre Mag√© e Petrópolis tem recursos reservados no orçamento do Estado em 2024

Lei prev√™ reserva R$ 59 milhões para iniciar o projeto, que √© desenvolvido pela secretaria estadual de Transportes. Previsão √© que mais de 500 mil pessoas sejam beneficiadas anualmente a um custo menor do que o transporte por ônibus.

Por Redação Portal Fri Notícias em 03/11/2023 às 18:55:26
VLT Marco Polo (Foto: Divulgação)

VLT Marco Polo (Foto: Divulgação)

A reativação da ferrovia entre Petrópolis e Magé, para o transporte de passageiros e também com viés turístico, deu mais um importante passo para a sua realização. A Lei Orçament√°ria do Estado para 2024 reserva R$ 59 milhões para iniciar o projeto, que é desenvolvido pela secretaria estadual de Transportes. O trecho de 6,1 km ser√° restaurado com a previsão de transportar mais de 500 mil pessoas anualmente a um custo menor do que o transporte por ônibus. A reativação da ferrovia é um dos pleitos do movimento empresarial Petrópolis 2030 que foi abraçado pelo secret√°rio estadual de Transportes, Washington Reis, e pelo governador Cl√°udio Castro. O projeto também est√° previsto no Plano Plurianual (PPA) do Estado do Rio 2024-2027.

"Essa reserva de recursos na lei orçament√°ria e no PPA é um compromisso firme com o projeto que vai alavancar o turismo e, por consequ√™ncia, comércio, entretenimento e muitos setores econômicos. O objetivo do movimento e suas propostas é colocar em pr√°tica projetos até 2030 com a meta de impulsionar o desenvolvimento econômico da cidade por meio de ações estruturais e programas que envolvam poder público e iniciativa privada", afirma Cl√°udio Mohammad, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas CDL-Petrópolis, que lidera o movimento Petrópolis 2030.

O diretor presidente da Central de Logística da Secretaria estadual de Transportes, Fabrício de Moura, anunciou em audi√™ncia pública na Alerj, que a reconstrução do trecho tem um prazo de execução de 18 meses e a pasta ir√° avaliar se ser√° uma concessão ou uma parceria público-privada. A audi√™ncia foi promovida pela Frente Parlamentar Pró-Ferrovias Fluminenses, da Assembleia. "Vamos investir, no total, R$ 260 milhões. Mas ainda ser√° preciso detalhar os tipos de trens que serão usados e avaliar se ser√° uma concessão ou uma parceria público-privada", afirma Moura.

O secret√°rio estadual de Transportes, Washington Reis, que esteve em Petrópolis para tratar com o movimento empresarial projetos para o transporte da cidade e região, frisou que a reativação da ferrovia é vista como fundamental para a mobilidade urbana, a recuperação da história e o fomento do turismo.

Foto: Divulgação

"É uma obra importante para a mobilidade urbana, para a recuperação da história e como modal de transporte e valioso para o turismo. Estamos felizes em tirar do papel um projeto ousado, complexo, mas um passo consider√°vel para Petrópolis e Magé, uma obra que a sociedade cobra h√° muito tempo", afirmou Washington Reis.

A Associação Fluminense de Preservação Ferrovi√°ria (AFPF), representada pela vice-presidente √āngela França, junto ao movimento, tem sido decisiva para o andamento do projeto e também de outros que contemplam Petrópolis e outras cidades. A revitalização é um tema tratado desde 2010 por Antônio Pastori, também diretor da Associação, que formou um grupo de trabalho para apresentar estudos de viabilidade econômica da ferrovia, incluindo sua extensão até o Centro da capital.

"H√° expectativa de que a obra inicie em 2024 e é um enorme passo pelo qual estamos lutando h√° muitos anos. Também comemorados que mais um projeto de um trem turístico, em Petrópolis, o Noguita, que est√° sendo acolhido e foi incluído no Plano Plurianual do Estado. O percurso previsto do Noguita, que tem quatro quilômetros, inicia-se na antiga Estação de Nogueira, que ser√° remodelada, e parte em direção à estação final, que ser√° construída dentro do Parque Municipal de Itaipava, levando uma grande atração turística para a região", comemora √āngela França.

Trilhos que ainda restam da ferrovia. (Foto: Divulgação)

A ferrovia Príncipe do Grão Par√° ligando Magé a Petrópolis foi inaugurada em 1883, no Império, e teve uma influ√™ncia significativa na mobilidade e no turismo. Ela foi desativada em 1964, mas estudos recentes mostram sua viabilidade técnica e econômica, especialmente para Petrópolis. O anúncio da reativação coincide com as celebrações dos 140 anos de sua inauguração comemorados este ano.


Comunicar erro

Coment√°rios

003 Banner Anuncie Fri Duplo (tela principal e posts)